IFRFRU 2020

  • Instrumento financeiro que apoia investimentos em reabilitação urbana em todo o território nacional.
  • Enquadráveis projetos de reabilitação integral de edifícios com idade igual ou superior a 30 anos, Reabilitação de espaços e unidades industriais abandonadas e Intervenções em edifícios de habitação social.
  • O investimento tem de ser superior a 200 mil euros e inferior a 20 milhões de euros
  • Os edifícios a reabilitar têm de estar localizados numa Área de Reabilitação Urbana (ARU) definidas por cada município.
  • Os edifícios a reabilitar têm de estar localizados numa Área de Reabilitação Urbana (ARU)
  • Empréstimos concedidos pelos bancos com maturidade até 20 anos, períodos de carência equivalentes ao período de investimento + 6 meses (até um máximo de 4 anos) e taxas de juro abaixo das praticadas no mercado OU Garantias associadas a empréstimos concedidos pelos mesmos bancos, destinando-se a projetos que não dispõem de garantia bastante.

Despesas elegíveis

  • Realização de estudos, planos e projetos, incluindo estudos de viabilidade económico financeira
  • Aquisição de edifícios e terrenos (máximo de 50% do financiamento)
  • Trabalhos de construção civil e engenharia
  • Aquisição de equipamentos imprescindíveis à reabilitação do edifício (equipamento fixo)
  • Fiscalização, coordenação de segurança, assistência técnica, testes e ensaios
  • IVA (não recuperável)
  • Despesas específicas referentes à componente de eficiência energética, complementares à obra de reabilitação urbana, nomeadamente: intervenções na envolvente opaca e envidraçada dos edifícios; intervenções nos sistemas de produção de água quente sanitária e de ventilação; iluminação interior; instalação de sistemas e equipamentos que permitam a gestão de consumos de energia; intervenções de promoção de energias renováveis para autoconsumo na habitação.
  • Despesas de realização da obra, com bens móveis ligados materialmente ao imóvel, com carácter de permanência